Author: Vitor Paladini

by Vitor Paladini Vitor Paladini Nenhum comentário

64 Hacks para Otimizar seu Perfil no Linkedin

“Estou realmente abismado.”

Foi com essa frase que abri o post que fiz no Linkedin no dia 11 de janeiro de 2018. E posso ser sincero: ainda estou abismado.

Isso porque, poucos dias depois da publicação, esse mesmo post já apresentava números como:

  • Mais de 1.200.000 visualizações.
  • Mais de 12.000 pessoas interessadas em receber meu conteúdo.
  • Mais de 3.100 novas conexões no Linkedin.
  • Diversos convites e oportunidades profissionais.

E tudo isso com um único post.

[PRINT DO POST ORIGINAL]

Eu prometi um checklist com meus 64 hacks para otimizar o perfil no Linkedin e começar a construir uma poderosa marca pessoal na rede.

Mas apenas um checklist seria muito pouco. Vocês merecem muito mais.

MUITAS pessoas pediram por um material complementar, algo que as ajudasse a colocar o checklist em prática .

Outra tantas pediram que eu falasse mais sobre as estratégias , e o que havia por trás delas.

Outras ainda me pediram exemplos práticos de como poderia aplicar certos itens.

E foi por tudo isso que eu resolvi criar esse novo conteúdo: um guia completo do checklist , um passo a passo para você implementar todos os 64 hacks para otimizar seu perfil no Linkedin e começar a decolar na carreira !

Infelizmente, muitas pessoas ainda encaram o seu perfil do Linkedin como um mero currículo online, o que é um erro gigantesco. Ao fazer isso, você está desprezando todo o potencial da rede para:

  • Gerar relacionamentos com pessoas interessantes para o seu mercado (networking);
  • Descobrir oportunidades de negócio;
  • Captar leads e prospects para a sua empresa;
  • Encontrar vagas e oportunidades profissionais;
  • Encontrar e conhecer parceiros estratégicos para o crescimento da sua empresa;
  • E muito, muito mais.

Além disso, os melhores profissionais são aqueles que conseguem utilizar o Linkedin para se posicionar no mercado e, principalmente, construir uma marca pessoal poderosa .

Passar a enxergar a si mesmo, não apenas como um profissional, mas como uma marca, muda completamente a sua perspectiva.

Pensa só: uma marca geralmente precisa:

  • Ficar atenta a como se posiciona no mercado;
  • Prestar atenção à mensagem que passa ao seu público;
  • Cuidar para transmitir com clareza seus valores e propósito,
  • Entre outras coisas.

Desta forma, ela se torna mais atraente para o seu público, e, principalmente, fazer as pessoas percebam o seu valor, certo?

Agora, repara: a mesma lógica não se aplica a você?

Você também não precisa se posicionar, transmitir uma mensagem clara e forte, apresentar os seus valores, ficar atento a como as pessoas percebem o seu valor?

Pois então: você também precisa construir uma marca pessoal para gerenciar a sua carreira com ainda mais sucesso e vender a si mesmo com mais facilidade. E o Linkedin é uma excelente lugar para começar.

Todos os 64 itens do checklists foram sintetizados a partir de meses de estudo, pesquisas e experimentos. Estudei os materiais e conversei com alguns dos maiores especialistas em Linkedin para negócios que eu conheço, como meus amigos Raphael Lassance, Braulio Medina e Cristiano Santos, e busquei extrair o melhor aprendizado que pude para gerar resultados para os meus negócios.

E agora eu compartilho absolutamente tudo com você.

Está pronto?

Então vamos lá!

Não adianta “hack” nenhum se não garantir o “arroz com feijão” bem feito

Algumas pessoas me perguntaram o que eu queria dizer com o “garantir o ‘arroz com feijão’” no checklist, e é bem simples: para otimizar (ou seja, tornar ótimo) alguma coisa, você precisa primeiro garantir algo minimamente bom . Por isso que antes de passar para os hacks mais avançados, nós precisamos nos concentrar em temos o básico para ter um perfil de qualidade.

Isso envolve, basicamente, o seguinte:

Hack #1 – Verifique se já adicionou sua indústria e localização

Isso, além de ajudar o buscador do Linkedin a te achar mais facilmente, ainda é uma informação-chave, por exemplo, para ofertas de trabalho presenciais.

Hack #2 – Verifique se já adicionou seu cargo atual, incluindo descrição

Também é meio óbvio, certo?

Hack #3 – Verifique se já adicionou seus dois últimos cargos já ocupados

Saber o mínimo do seu histórico profissional é importante para qualquer pessoa interessada em fazer negócios ou contratar você. Se você não tem experiência anterior, ou tem pouca experiência, não tem problema: o importante é saber de onde você veio.

Hack #4 – Verifique se já adicionou sua última formação (Educação)

Onde você estudou por último? Adicione aqui o nome, instituição e outros detalhes que puder (projetos, notas, tema do TCC, etc.).

Hack #5 – Verifique se já adicionou, no mínimo, três “skills”

As “skills” (também chamadas de “competências”) são itens que você escolhe para sinalizar que possui conhecimentos e habilidades em determinadas coisas relacionadas a sua atuação profissional.

Também serve para que as pessoas endossarem esse seu conhecimento, votando naquelas em que elas julgam que você domina melhor. Não se preocupe que falarei disso mais para frente, ok? 😉

Hack #6 – Verifique se já tem, no mínimo, 50 contatos e adicione novos (RELEVANTES!) todos os dias

Esse é o item “básico” que pode gerar mais polêmica. Sim, você deve cuidar de ter uma rede bacana de contatos, especialmente aqueles mais relevantes da sua área. Só fique atento a uma coisa: MUITO cuidado para não virar spammer.

Ninguém gosta de adicionar um monte de estranho sem contexto nenhum. Também vou falar mais disso daqui a pouco.

Hack #7 – Não utilize no campo “Nome” símbolos, números, caracteres especiais, etc

A área de “nome” é uma das mais importantes do seu perfil. Não utilize nenhum número ou caracter especial que possa atrapalhar o buscador do Linkedin de achar você quando alguém for procurá-lo na rede 😉

DICAS EXTRAS

Você tem 60 caracteres para preencher esse campo, mas isso não significa que você precise utilizar seu nome todo, ok?

Também não precisa ser muito criativo, colocar todos os seus títulos e certificações (MBA, PhD, Jr., PMP, etc.), a não ser que seu mercado exija.

Seu nome no Linkedin apenas precisa ser condizente com como as pessoas te conhecem . Por exemplo: se eu colocasse “Eduardo Costa da Silva” como nome no Linkedin, ninguém ia me achar, pois eu sou conhecido como Edu Costa . É como eu me posicionei e como eu sou conhecido no meu mercado (escolhi esse nome, inclusive, justamente porque é muito difícil competir nas buscas com um certo cantor… rsrs). 

 

Acerte nas imagens

Já teve aquela sensação de só olhar para a foto de uma pessoa e sentir simpatia por ela?

Ou sentir a credibilidade e respeito que a pessoa do foto transmite?

Pois é, é exatamente isso o que queremos.

Fotos são extremamente importante quando trabalhamos nossa marca pessoal . Não tem a ver com ser bonito ou feio, mas com apresentar uma imagem que transmita seus valores e que também transmita confiança, credibilidade e empatia.

Vamos conferir cada um dos itens para garantir que as imagens do seu perfil agreguem o máximo de valor percebido à sua marca pessoal.

DICAS EXTRAS – TAMANHO DAS IMAGENS DO LINKEDIN 2018

  • Tamanho da Foto de Perfil do LinkedIn: 130 x 130 px
  • Tamanho da Foto de Capa do LinkedIn: 1536 x 768 px

 

Hack #8 – Utilize uma foto tirada por um profissional.

Hack #9 – Não utilize uma selfie como foto de perfil.

Hack #10 – Não utilize o logo da sua empresa como foto do perfil.

Esses três itens, na verdade, estão no mesmo pacote: bom senso.

Se você está usando o Linkedin para se vender melhor para o mercado, você não pode usar uma foto amadora. Tão pouco é bacana usar uma selfie, e menos ainda uma foto do logo da empresa.

Ao usar uma foto, você está literalmente dando uma “cara” ao seu nome. Então garanta que, ao fazer isso, a percepção da pessoa ao seu respeito seja a melhor possível.

como usar a foto no perfil do linkedin certa - linkedin hacks

Por isso vale o investimento sim em uma sessão de fotos profissionais. Se não rolar, tem celulares com câmeras incríveis, então garanta um bom ângulo e iluminação, e escolha a melhor que tirar. Cuide de ter uma foto bem bacana, pois ela reflete diretamente em como as pessoas percebem você e o que você faz.

Duvida? Então confira os itens abaixo para ver.

 

Hack #11 – Garanta que sua foto transmita profissionalismo, confiança e carisma.

Item básico, certo? A nossa foto de perfil deve conseguir transmitir esses valores que são a chave para aumentar a percepção de valor sobre o que é e faz.

Nem sempre chegar à solução ideal é fácil. Na verdade, pode ser bem trabalhosa. Mas, felizmente, hoje nós dispomos de ferramentas para validar isso. Inclusive, uma delas é tema do nosso próximo item:

 

Hack #12 – Utilize o Photofeeler para validar sua foto com a opinião de outros.

 

como usar photofeeler logo - linkedin hacks

O Photofeeler é uma ferramenta ao qual eu fui apresentado há alguns meses e achei extraordinário. Ele é gratuito e o que ele faz, basicamente, é exibir sua foto para diversas pessoas que vão votar o quanto a sua foto atende aos três critérios:

  • Competência: O quanto a sua foto é capaz de transmitir a ideia de competência profissional.
  • Amigável/Empatia: O quanto a sua foto consegue gerar empatia e transmitir que você é uma pessoa amigável e simpática.
  • Influência: O quanto você consegue transmitir a ideia de que é influente no mercado.

Como vocês podem ver, segundo as pessoas que votaram em mim, minha foto ainda está muito aquém de todo o seu potencial, no que diz respeito a esses critérios. Recebi dos votantes, inclusive, dicas como “braços cruzados passa agressividade”, “o fundo natural não combina muito”, etc. Que maravilha! E ainda com essas ressalvas, minhas notas ficaram bem acima da média.

Assim, utilize o Photofeeler para validar qual a melhor foto para utilizar no seu perfil. Na melhor que feedbacks reais (e anônimos) para te dar essa noção.

 

DICAS EXTRAS

  • O Photofeeler é gratuito. Para receber votos é preciso dá-los, ok? Então vote bastante para se encher de “créditos” e a ferramenta libere sua foto para ser votada. Quando os créditos acabarem, basta votar mais vezes para enchê-los novamente 😉
  • ESSE é um excelente artigo sobre boas práticas para fotos de perfil.

 

Hack #13 – Experimente utilizar um fundo com bastante contraste (cores chamativas) na sua foto.

Dicazinha marota: quando o seu nome aparecer em uma lista de perfis, ou de comentários, ele precisa chamar a atenção entre tantos outros thumbnails (sua foto em miniatura), não é?

E como conseguir isso? Garantindo um bom contraste! Quem utiliza um fundo bem contrastante com a sua figura (geralmente em tons fortes, como vermelho, laranja, verde limão, etc.) costuma chamar mais atenção.

Parece pequeno e bobo, eu sei, mas são pequenos detalhes que fazem toda a diferença 😉

Edu Costa

 

Tenho certeza que mesmo em 100 x 100 você consegue identificar meu rosto nessa foto (antiga), certo? O contraste com o fundo verde ajuda muito nessa percepção.

 

 

Hack #14- Utilize como foto uma imagem de 400 x 400 pxl para garantir uma boa resolução.

É o tamanho original recomendado pelo Linkedin e que garante uma boa resolução. Cuidado com fotos de meio corpo, (da barriga pra cima), pois pode dificultar a identificação do seu rosto.

 

Hack #15 – Utilize a mesma foto em todas as suas redes sociais para ajudar na sua marca pessoal.

Essa não é uma regra geral, e sei que tem gente que discorda. Minha visão talvez seja um pouco mais pragmática porque eu não uso tanto as redes para compartilhar coisas pessoais. O principal argumento contra usar a mesma foto em todas as redes é justamente este, de que cada rede tem o seu propósito, que não é preciso misturar, e tudo o mais. Eu entendo perfeitamente, embora isso já tenha virado até meme:

meme-linkedin-effect

Maaaaaas… Você imagina uma empresa usando uma identidade visual numa loja, outra completamente diferente em outra loja, e outra completamente nas redes? Dificilmente, né? Isso porque, independente do lugar, a marca quer ser facilmente reconhecida .

A lógica com a nossa própria foto é bem parecida.

Eu uso a mesma foto em todas as redes, e conheço uma galera muito foda e especialista em Linkedin, como meus amigos Braulio Medina e o Cristiano Santos, que faz o mesmo. E isso tem um único propósito: consistência. Seja no Facebook, Linkedin, Twitter ou o que for, a pessoa verá o mesmo rosto, do mesmo jeito, e conseguirá reconhecer facilmente.

braulio medina growth hacking linkedin hacks

Você não é obrigado(a) a seguir essa dica, mas eu acho super válida.

 

Hack #16 – Utilize a capa do perfil para trazer informações estratégicas sobre a sua carreira e gerar interesse, credibilidade e confiança sobre você.

A capa é uma excelente oportunidade para você mostrar mais de você. Busque criar algo interessante, que fale mais sobre quem você é e o que você faz.

A minha, por exemplo, eu mudei recentemente:

Olha outro exemplo legal no perfil do Braulio Medina, um verdadeiro mestre no Linkedin e em Social Selling:

Repare como ele, ao utilizar fotos de encontro com outros especialistas, ganha ainda mais credibilidade e autoridade. Um cara que é brother de autoridades como Sean Ellis e Sujan Patel não deve ter um nível de conhecimento raso, não é?

Outra dica marota: lembre-se que a capa no perfil não é o único formato em que ela será exibida, ok? Garanta que as informações nela (pelo menos as mais importantes) possam ficar visíveis também em outros formatos.

Tamanho de imagens do Linkedin 2018

Fonte: https://postcron.com/en/blog/social-media-image-dimensions-sizes/

 

Detone no Título

Agora a gente começa a jogar o jogo de verdade!

Só para a gente deixar claro, quando eu falo de título (ou “headline”), me refiro a isso aqui, ok?

Vamos ver as dicas para detonar na hora de criar o título para o seu perfil:

Hack #17 – Utilize no “Título” palavras-chave que o seu público-alvo usaria para encontrar alguém como você

E porque o título é tão importante?

Imagine que sua empresa está com problemas e você precisa da ajuda de um consultor de vendas. Como você vai procurar alguém fera em vendas no Linkedin? Buscando por palavras como:

  • “consultor de vendas”;
  • “vendas”;
  • “sales”;
  • “consultor comercial”;
  • “diretor comercial”;
  • e assim por diante.

É por isso que o título é tão importante: ele é, em grande parte, o responsável por tornar o seu perfil “localizável” dentre o Linkedin, sempre que alguém busca pelo seu cargo e/ou palavras relacionadas ao que você faz e sua profissão.

Logo, utilizar palavras estratégicas ajuda DEMAIS a ser encontrado por recrutadores e potenciais contratantes, além de ajudar você a se posicionar para o seu mercado.

Por isso, na hora de conceber o título, tenha isso em mente e siga os itens abaixo:

“Estudante” também não é cargo, ok? Só vale a pena colocar como tal se você acreditar que os recrutadores procurem por essa palavra-chave no seu segmento de mercado (o que geralmente só se aplica a vagas de estágio). Mas, e forma geral, é melhor utilizar uma keyword estratégica 😉

Hack #18 – Pesquise pelas palavras-chave que você deseja utilizar e analise os resultados de busca para descobrir como se posicionar.

Você é um Engenheiro de Produção? Advogado? Analista de Social Media? Ou qualquer outra profissão?

Você já experimentou procurar no Linkedin pela sua profissão?

Pois comece fazendo isso agora!

[FOTO]

Quando você analisa os resultados para as busca das principais palavras-chave do seu mercado, você pode ver observar:

  • Quem tá aparecendo nos primeiros lugares?
  • Como é o perfil dessa pessoa?
  • No que o perfil dela tá mandando bem? No que poderia melhorar?
  • Quais palavras-chave ela está usando no perfil dela? Em quais lugares? (título? cargo? experiência? etc.

Depois de fazer esse levantamento, você tem um monte de informações valiosas sobre quem está mandando muito bem no seu mercado e como você pode não só se inspirar neles, mas tomar a frente deles , aproveitando o que você descobriu.

Isso é ESTRATÉGIA, senhoras e senhores 😉

“Edu, mas estou desempregado. Não é bom colocar algo como ‘Em recolocação’, ou coisa assim?”

Do ponto de vista técnico, não posso falar sobre a eficácia dessa técnica, embora já tenha visto muitos profissionais debatendo sobre isso: uns rejeitando, outros defendendo.

Pessoalmente, eu não colocaria algo do tipo no título, e sim em outros pontos do perfil, como no seu Resumo (que eu comento abaixo). Pensando como recrutador, você procuraria um novo auxiliar de escritório buscando por “em recolocação” ou por “auxiliar de escritório”?

No entanto, não se pode negar que recrutadores podem começar suas buscas utilizando essas palavras-chave, uma vez que sabem que tem uma boa parte da galera que usa. Em todo o caso, se você acredita que vale a pena, realize um teste 😉

 

Hack #19 – Garanta que o “headline” seja condizente com o restante do seu perfil.

Se o seu perfil aponta que você é um recém-formato ansioso por entrar no mercado, mostrar a que veio e desbravar oportunidades, não tem o menor sentido você querer pagar de sabichão no título (“headline”) do seu perfil.

Coerência e consistências são fundamentais.

Hack #20 – Experimente utilizar uma proposta de valor no headline.

O conceito de “proposta de valor” pode não ser natural para quem não trabalha com Marketing e Vendas, mas basicamente diz respeito ao que você (sua marca pessoal no caso) oferece de valor para o mercado. O que você entrega de espacial para os seus clientes/consumidores/leitores? Isso é a sua proposta de valor.

Exemplos de proposta de valor (reais e fictícias):

  • Transforme seus visitantes em clientes (Supersonic)
  • Nós crescemos nosso próprio negócio com Marketing de Conteúdo, e agora faremos o mesmo pelo seu. (Rock Content)
  • Ajudo empresas a crescer de forma escalável e sustentável com técnicas de Growth Hacking.
  • Auxiliar todo o microempreendedor a gerar mais vendas.
  • Construindo times de vendas incansáveis há mais de 20 anos
  • E assim por diante.

Propostas de valor são extremamente poderosas justamente por mostrar o que você faz e porque o cliente deveria fazer negócio com você.

Experimente utilizá-las, mas, se possível, não esqueça as palavras-chave, ok?

 

Hack #21 – Não utilize palavras como “ninja”, “guru”, “super star”, etc. no seu título.

Sério, se você faz isso, pare agora.

Ao invés de dizer que você é incrível, demonstre isso no conteúdo do seu perfil.

Você pode até se posicionar como um “entusiasta”, ou coisa do gênero, ou utilizar essas palavras (“guru”, “ninja”) se for relevante para o seu público (o que é menos de 1% dos casos). Mas dizer esse tipo de coisa sem apresentar “provas” (cases, principalmente) só faz as pessoas perderem mais a confiança em você, então não tem porque arriscar.

Além do mais, ninguém gosta de gente que “se acha”. Por mais que você SE ACHE excelente, não tem porque falar isso por outros (e eles tampouco precisam acreditar). Ao invés disso, demonstre suas capacidades e competências contando os feitos que já realizou na carreira 😉

Conte uma história emocionante no seu Resumo.

O Resumo é essa parte do começo do seu perfil:

[PRINT]

Ela serve justamente como uma introdução, então quanto mais convincente você for aqui, mais será capaz de aumentar a percepção de valor sobre a sua marca pessoal.

Você precisará explorar o Resumo para convencer as pessoas a continuar a leitura do seu perfil, então é fundamental fazê-lo interessante. E a melhor forma de tornar algo interessante é contando uma história, certo?

Então experimente contar um pouco sobre você, sobre a sua trajetória e como você se tornou o que é hoje (profissionalmente). Olha como eu fiz o meu:

[PRINT]

Existem verdadeiros mestres em contar histórias assim, e muito do que aprendi foi com o Braulio Medina . Este é, inclusive, um dos pontos que ele aborda no seu curso XXXX. Recomendo saber mais a respeito!

Pense no seu Resumo como um “discurso de elevador”

Nada de enrolação. Não é porque você quer contar uma história que precisa escrever um livro no seu Resumo do Linkedin. Pense nele como um discurso de elevador: pense que você tem 2 ou 3 poucos minutos para convencer alguém a dar atenção ao que você tem a oferecer. O que você falaria.

Então seja breve, objetivo e dinâmico na hora de fazer o seu “pitch” no Resumo 😉

Conte sua história de forma emocional, mas estruturada

(por exemplo, utilize arquétipos, estruturas narrativas como a “jornada do herói”, etc.)

O título é bem claro: emocional, mas estruturado. E não me refiro aqui a apenas ao Resumo no perfil, mas a todos os textos (por exemplo, na descrição sobre os trabalhos anteriores, nos locais que estudou,e tc.).

Parece maluquice contar sua história em seu perfil? Parece. Mas é uma maluquice que dá resultados.

Vale a pena testar? COM CERTEZA.

Então vamos ver algumas dicas:

Fale sobre seus títulos e prêmios.

Recebeu títulos e prêmios? Valorize-os! Fala sobre com foi difícil conquistá-los e o que eles representaram para você e para sua carreira.

Fale sobre seus feitos mais surpreendentes.

Fez coisas impressionantes na sua carreira? (Como um post que viralizou no Linkedin e atingiu mais de um milhão de pessoas =P) Então fale sobre isso!

Lembre-se que você está se vendendo, então aponte o valor dos seus feitos.

Fale sobre seus desafios, e como os superou.

Tenho certeza que você se lembra de filmes como:

  • Um Sonho de Liberdade
  • Coach Carter
  • Homens de Honra
  • A Vida é Bela

Eles tem vários pontos em comum, como serem envolventes, emocionantes, mas, principalmente, falam sobre superação de obstáculos.

Todos nós, humanos, inconscientemente adoram certos tipos de história, e história de superação é uma das mais populares. Use isso ao seu favor 😉

Fale sobre o que te torna um profissional único (e melhor) que outros profissionais do seu segmento.

Quer tornar sua proposta de valor ainda mais poderosa? Então trabalhe em uma proposta ÚNICA de valor: aquilo que só você pode oferecer e que o destaca entre os profissionais do seu segmento.

Exemplos de propostas únicas de valor:

  • Fui responsável por uma campanha de marketing que atingiu os resultados X, Y e Z.
  • Participei da fundação da startup X, que chegou a atingir X mil clientes em 2 anos.
  • E por aí vai.

Fale sobre os clientes que você já atendeu, e os resultados que já obteve (desde que de forma relevante).

Conte seus cases! Poucas coisas geram tanto valor para sua marca pessoal quanto mostrar os seus RESULTADOS.

Se você histórias de sucesso dos seus clientes, conte-as. Claro que você não vai contar a história inteira, mas pode, por exemplo, começar a contá-la e adicionar um arquivo no seu perfil detalhando o case.

Utilize palavras-chave relevantes sobre o seu segmento e áreas de expertise.

Não é só no título que você deve utilizar palavras-chave: use também ao longo de todo o seu perfil. Por exemplo:

  • No título dos cargos (ao invés de dizer que é só “Consultor”, “Vendedor”, etc., que tal “Consultor de Finanças Pessoais”, Vendedor de Software na Nuvem”, etc.);
  • Na descrição dos empregos;
  • Na descrição dos cursos e formações que você fez;
  • Etc.

O que eu fiz no meu perfil também pode servir bastante de referência para você (inclusive, se ainda não me adicionou, adiciona lá 😉

[PRINT]

Os benefícios também são bem parecidos com o de utilizar as palavras-chave no título: posicionar melhor no resultado de busca no Linkedin e torná-lo mais “encontrável” para quem buscar por soluções, serviços ou produtos como os que você oferece.

Utilize um tom profissional, mas engajante e, se possível, divertida.

Auto-explicativo, não é? Ninguém gosta de ler um discurso de quem puxa o saco de si mesmo =P

Ah, outra dica: há uma diferença sutil em “tom profissional” e “tom formal”, ok? Tom formal é chato, entediante. Já o tom profissional consegue ser quase formal, mas sem ser chato 😉

Utilize bullets para facilitar a leitura.

Para ficar claro, isso são bullets:

[PRINT]

Dica simples e muito prática. Bullets sempre são utilizados em textos de venda porque facilitam a leitura e forçam você a transmitir suas ideias de forma resumida.

Complete a área de experiências profissionais

Essa é a área de experiências profissionais do seu perfil:

[PRINT]

Aqui é outra área extremamente importante do seu perfil. Onde você trabalhou, o que você e o que já realizou dizem muito sobre você, e por isso é crucial preencher essa parte com muito cuidado e detalhe.

Vai valer a pena, prometo 😉

Vamos para os hacks.

Preencha detalhes de título do cargo, tempo na posição, indústria, empresa, localidade, etc.

Básico, né? Resgate todas as informações básicas sobre seus antigos cargos e preencha com carinho. Vamos otimizar isso ainda mais com os itens abaixo.

Preencha o resumo das suas experiências profissionais de forma envolvente, persuasiva e convincente.

Essa dica me foi dada pelo Raphael Lassance , que manja MUITO de construir marca pessoal e contar histórias envolventes (quem já assistiu suas palestras, já conhece).

Lembra o que já falamos sobre storytelling, a arte de contar histórias? Pois é, aqui também se aplica, e muito bem.

Não conte apenas sobre suas responsabilidades nos seus antigos empregos, mas também os seus feitos, realizações e experiências. Isso enriquece demais o seu perfil e adiciona ainda mais valor à sua marca pessoal.

Adicione mídias (imagens, links, documentos, slides, certificados, etc.).

“Mídias” são os arquivos que você pode adicionar à ficha de experiência profissional.

[PRINT]

Essa é MATADORA!

Isso é uma das grandes diferenças entre o Linkedin e um currículo convencional: você pode expandir enormemente a concepção das pessoas sobre você adicionando mais conteúdo sobre suas experiências.

No meu perfil, por exemplo, ao descrever minhas experiências como professor na Harve Academy e na M2BR Academy, eu adicionei alguns slides das minhas aulas em ambos os cursos! E detalhe: se você for ver os slides, no final deles tem um link para você saber mais sobre o curso (e quem sabe, até contratá-lo).

[PRINT]

Muito legal, né? Agora qualquer outro recrutador que esteja pensando em me contratar para dar aula em seu curso ou empresa tem uma “degustação” do que eu ofereço nas minhas aulas.

Será que fica mais fácil ou mais difícil fechar novos negócios assim? 😉

Então comece a pensar em quais arquivos vocês podem adicionar às suas experiências profissionais. Vale slides com cases, relatórios (não sigilosos), artigos que já escreveu para o blog da sua empresa, cartas (e e-mails!) de recomendação, e muito mais.

Adicione não apenas seu trabalho atual, mas pelo menos as três últimas posições.

Se os seus trabalhos anteriores não tem muito a ver com a carreira que você tem hoje e/ou quer seguir, não tem problema: destaque na sua história os aspectos mais relacionados a sua área que você conseguir imaginar. Nem que seja as competências interpessoais (trabalho em equipe, liderança, etc.) que você desenvolveu lá.

Agora, se você não tiver mesmo tido cargos anteriores e está no começo de carreira, não “invente” trabalhos (síndico do prédio, representante de turma, e tudo o mais). Até para contar histórias tem limite… rsrs. =P

Teste personalizar o campo Cargo das suas experiências anteriores, tornando-o mais descritivo e com palavras-chave relevantes.

Falamos antes sobre isso, mas não custa reforçar: nome dos Cargos também devem ser utilizados para explicar o que você fazia e utilizar palavras-chave.

[PRINT – M2BR]

Legenda: eu poderia colocar só “Professor” ou “Instrutor”, mas adicionei o “Marketing de Conteúdo” que é uma palavra-chave relevante pra mim 😉

Utilize as Competências e Recomendações como Prova Social do seu trabalho

Essa parte também é SUPER importante.

As Competências (ou “skills”) são essa parte do seu perfil:

[PRINT]

Como eu disse lá em cima, elas funcionam como um tipo de lista de áreas, disciplinas e habilidades que você acumulou ao longo da sua carreira. E o mais legal é que sua rede de contatos pode VOTAR essas competências, endossam suas habilidades naquilo.

Além de uma poderosa ferramenta para rankear melhor o seu perfil, também funciona de prova social para sua rede de contatos.

Já as Recomendações , são essas aqui:

[PRINT]

Recomendações funcionam mais ou menos como o antigo “depoimento” do Orkut, só que no âmbito profissional… rsrs.

Aqui, as pessoas que te conhecem e conhecem a sua competência escrevem um tipo de carta de recomendação sobre você para a sua rede de contatos. Depois de você aceitá-la, ela fica visível no seu perfil para todos que acessarem.

Nem precisa falar como isso é poderoso para um recrutador, não é? E quanto mais relevante e influente a pessoa que fizer o seu depoimento, mais peso e prova social ele terá 😉

Se disponha a dar uma Recomendação, antes de pedir por uma.

Tem até princípios psicológicos e de persuasão envolvidos nisso, mas basicamente, quando você dá algo para alguém, de boa vontade e sem esperar retorno, a pessoa fica muito mais propensa a te retribuir o favor do que se você simplesmente pedisse por algo.

Assim, antes de sair pedindo depoimentos para todo mundo, primeiro faça-lhes a melhor recomendação que puder escrever. Leva um tempo, é verdade, mas vale muito a pena.

Hoje mesmo, se você olhar meu Linkedin, eu dei mais recomendações do que recebi. Mas 80% das minhas recomendações foram retribuições por alguma recomendação que eu ofereci uma primeiro.

[PRINT]

Veja bem: não se trata de puxa-saco! Muito menos mentir!

Seja coerente e tenha bom senso. Palavras muito bonitas e enfeitadas soam simplesmente falsas. Seja sincero, busque enxergar o melhor na pessoa enquanto profissional e fale sobre isso, sobre como isso é bacana, raro, interessante, etc.

Faça de boa vontade, como se não esperasse nada em troca, pois o compromisso tácito gerado geralmente é forte o suficiente para persuadir as pessoas a te recomendarem de volta.

Como faz uma recomendação?

[PASSO A PASSO]

Ao requisitar uma Recomendação, seja específico e sugira os pontos que deseja que abordem sobre você.

Se for pedir solicitação para alguém (após ter combinado antes, ou apenas para “lembrar” alguém que está devendo uma Recomendação que prometeu a você), seja bem específico sobre o que você quer que a pessoa fale. Inclusive, quais palavras-chave usar! Aqui é ESTRATÉGIA! Não tamo no jogo para perder =P

Então quando for falar para aquele seu professor de pós para te escrever uma recomendação, mande uma mensagem como esta:

“Olá, Profº [Fulano] .

Estou me esforçando para me posicionar melhor aqui no Linkedin para conquistar oportunidades no mercado, e se não fosse pedir muito, ia adorar contar com um depoimento seu.

Se puder citar aquele trabalho em grupo que apresentamos e a minha performance nele, ia ser incrível, mestre. Como estou querendo me posicionar em [palavra-chave] , se você puder usar termo em algum ponto do seu texto, ia me ajudar a me posicionar melhor no Linkedin.

Desde já, muito obrigado, professor.

OBS: Fiz questão de deixar um depoimento para o senhor também, agradecendo por todo o aprendizado e reforçando como o senhor é referência em [assunto X] . Espero que goste!”

Você acha que ele recusaria? Pode até ser… Mas eu, enquanto professor, e outros professores que eu conheço, COM CERTEZA faríamos a recomendação 😉

(Estou até imaginando a quantidade de recomendações que vou receber e precisar responder depois dessa… rsrs.)

A propósito, outra copy (texto persuasivo) no mesmo sentido também serviria para pedir recomendações aos seus ex-chefes, contatos relevantes do seu mercado, amigos, e tudo o mais, então aproveite o template!

Como solicitar uma Recomendação?

[PASSO A PASSO]

 

Busque recomendações de grupos estratégicos do seu mercado (C-suite, micro-influenciadores, etc.).

Como disse antes, quanto mais influente for a pessoa que faz uma recomendação para você, mais peso e prova social a sua marca pessoal tem.

Então, se você conhece e tem contato com esses caras, peça uma recomendação (mas envie uma também, hein!) 😉

Adicione de 10 a 20 Competências ao seu perfil.

Já falamos das Competências e sua importânia. Na hora de escolher, tenha o cuidado ao selecionar as habilidades (e palavras-chave) que o seu público buscaria para encontrar alguém como você.

Dica rápida: Abra o bloco de notas e escreva uma lista de palavras-chave relacionadas ao seu mercado e que você mande bem. Por exemplo, no meu caso, que trabalho com Otimização de Conversão e Growth Hacking, além desta duas, listaria também:

  • Conversion Rate Optimization
  • Teste A/B
  • Copywriting
  • Marketing Digital
  • User Experience
  • Digital Analytics
  • Entre outras.

Depois de escrevê-las, busque-as no editor de perfil e as insira no seu.

Outra dica rápida: Pesquise pelos caras mais respeitados do seu mercado e olhe as competências que eles adicionaram aos seus perfis. Pode servir de referência para você 😉

Como adicionar Competências?

[PASSO A PASSO]

 

Adicione mais do que 20 Competências apenas se já houver uma quantidade razoável de recomendações nas já escolhidas.

Pareceu confuso? Basicamente eu quis dizer o seguinte:

  1. Faça o que recomendei no item anterior para encontrar as competências certas para adicionar ao seu perfil;
  2. Adicione, no máximo, 20 competências;
  3. Depois que você tiver um número legal de endossos (votos) em boa parte dessas 20 competências, fique a vontade para adicionar novas;

Simples assim =D

Não tem regra de quanto seria “número legal de endossos”, mas eu considero, no mínimo, 30 votos para cada competência. Você pode aumentar ou baixar esse padrão, a seu critério.

Ao aceitar ou ser aceito por um novo contato, endosse todas as suas Competências.

Lembra do lance da reciprocidade que falei lá em cima? Aqui também se aplica.

Após adicionar e trocar algumas ideias com a nova conexão (não saia dando endosso pra quem nem lembra de você), procure endossar (votar) nas competências das suas novas conexões. Na maior parte das vezes, elas tenderão a retribuir, integralmente ou em parte.

OBS: Inclusive, eu mesmo faço questão de endossar as competências e escrever recomendações para TODOS os que fazem o mesmo por mim. Então se quiser me adicionar o Linkedin e fazerem suas recomendações, será um prazer retribuir, ok? 😉

Foque em obter mais endossos nas Competências que considera mais relevantes para o seu público.

Reorganize suas Competências para colocar no topo (em portanto, mais visíveis para o público em geral) as mais relevantes para o seu público-alvo.

Quais competências são mais relevantes para você e mais valorizadas no seu mercado? Então foque seus esforços em conseguir mais endossos para elas!

E quais “esforços” são esses?

  • Pedir para as pessoas endossarem você (DEPOIS de endossá-las), reforçando quais skills são mais importantes;
  • Posicionar as skills mais importantes no topo da “lista” (são as que as pessoas veem primeiro e geralmente, as mais votadas).
  • Entre outras táticas.

[PRINT]

Depois que eu alcancei mais de 100 endossos nas skills mais relevantes pra mim, eu subi para as primeiras posições da lista novas skills que eu gostaria de priorizar.

Adicione seus trabalhos voluntários e causas que você apoia

Poucas pessoas lembram, mas no seu perfil há um espaço para você apresentar trabalhos voluntários e causas que apoia.

Talvez pelo fato do trabalho voluntário ser algo mais presente na cultura americana, nós aqui no Brasil esquecemos que vale sim adicionar aqui se você realmente apoia essas causas.

Exemplos de coisas que você realmente fez coisas relevantes nesse sentido:

  • Palestras e cursos gratuitas;
  • Mentoria em eventos;
  • Apoio a causas humanitárias;
  • Entre outras coisas.

Tudo isso diz MUITO sobre você também, então não deixe passar, ok?

Adicione seus guest posts, ebooks e outros conteúdos relevantes como Publicações no seu perfil.

Seu perfil também tem uma área de Publicações:

[PRINT]

Aproveite para lista todos os materiais que você já produziu e aumentar a sua autoridade.

Inclusive, quando você ler isto, provavelmente esse guia já estar listado lá no meu perfil =D

Adicione suas certificações (de preferência, com o link para o certificado, para aumentar sua credibilidade).

Na área de Certificações, você pode listar todas aquelas você tem, para aumentar a percepção de valor da sua marca pessoal.

Eu tenho várias, frutos de anos de estudo e dedicação, e faço questão de adicionar todas lá. Recomendo que faça isso também.

[PRINT]

E, como disse no título, sempre que possível, adicione também o certificado do mesmo, na forma de link ou imagem. Não que alguém vá verificar, mas lembre-se que isso ajuda a dar credibilidade, e credibilidade vende.

Adicione os projetos profissionais (e até pessoais) que adicionem valor à percepção dos visitantes.

Outra área esquecida por muitos no perfil: PROJETOS.

Se você fez ou participou de projetos legais, lista aqui!

Eu, por exemplo, costumo usar esse espaço para listar os meus projetos de consultoria, que não entram exatamente em experiência profissional (pois lá estou falando da minha empresa).

Adicione os idiomas.

Isso aqui é tão básico e tão importante que é, inclusive, filtro de busca interna do Linkedin.

Adicione os prêmios e reconhecimentos que você já recebeu.

Falei sobre isso lá em cima e repito: valorize seus prêmios e reconhecimentos. Eles ajudam a dar mais sua autoridade e aumentam a percepção de valor sobre você.

Infelizmente ainda não recebi muitos para dar como exemplo aqui… rsrs.

Expanda suas oportunidades para fora do Linkedin

As oportunidades para o seu perfil otimizado no Linkedin não estão só dentro, mas também FORA da rede social. O grande lance é atrair e trazer o seu público para a sua rede, então fica de olho nesses hacks.

Personalize a URL do seu perfil. Torne SEO friendly.

Muita gente, mas MUITA MESMO, não tem o link do seu perfil amigável.

Como assim, Edu ?

Qual link você acha mais fácil para o buscador do Linkedin ler?

O primeiro, certo? Pois é. Isso significa ser “friendly” (amigável) ao mecanismo de busca.

Como editar a URL do meu perfil?

[PASSO A PASSO]

Inclua o link do seu perfil na assinatura do seu e-mail, no seu blog, etc.

Se é para gerar contatos relevantes, que tal adicionar o link do seu perfil na assinatura do seu e-mail profissional?

Foi o que eu fiz =)

[FOTO]

Adicione o link do seu perfil do Linkedin em outras redes sociais, e vice-versa.

Por mais que cada rede social tenha um objetivo diferente, seu público pode facilmente transitar por redes diferentes.

Além disso, você estar mais “encontrável” em uma rede do que em outra, então é sempre bom interligar os pontos 😉

[FOTOS]

Crie um “crachá de perfil público” e embed em seu site/blog.

Esse é outra marotagem SINISTRA que pouquíssimas pessoas utilizam (eu mesmo não o fazia, por não conhecer o recurso).

Se você tem um site ou blog que fale de negócio (recomendo FORTEMENTE, especialmente se você trabalha no setor de serviços, independente da sua área de mercado), você pode criar o que o Linkedin chamada de “crachá” para “colar” na coluna (sidebar) do seu site.

[FOTO]

Como criar um crachá do meu perfil no Linkedin para o meu site ou blog?

[PASSO A PASSO]

Detalhe: quando a gente vê o crachá, fica evidente como os cuidados básicos com fotos (perfil e capa), nome e título são importantes, não é?

Por isso, caprichem!

Atualize suas informações pessoais e de contato.

Dever de casa básico também, né? Não dê esse mole de otimizar seu perfil todo e não atualizar seus dados de contato.

Como atualizar dados pessoais e de contato no Linkedin?

[PASSO A PASSO]

Revise o seu perfil público.

Você sabia que as pessoas podem chegar ao seu perfil do Linkedin SEM ESTAR no Linkedin?

Isso mesmo! Se alguém procurar pelo seu nome no Google, pode achar o seu perfil no Linkedin, e se você tiver um perfil público habilitado, a pessoa não precisa estar logada na rede para acessá-lo.

Daí a importância de ter um perfil público: atingir não só as pessoas que estão no Linkedin, como as que estão FORA dele.

Neste caso, o seu perfil público funciona muito bem como um currículo online seu.

Veja só o meu, por exemplo:

[Foto]

Se ainda mais gente vai ver o seu perfil, você não pode dar mole, certo? Por isso sugiro que faça uma revisão geral no seu perfil público para ver se não deixou passar nada batido.

Como acessar e editar o perfil público no Linkedin?

[PASSO A PASSO]

Aprenda a utilizar o poder dos grupos

Talvez você nunca tenha notado, mas no fim do seu perfil do Linkedin há duas áreas dedicadas a mostrar os grupos que você faz parte e as pessoas e empresas que segue.

[FOTO]

Siga empresas estratégicas para você e o seu mercado

A quem você daria mais crédito:

  • Ao cara que segue os maiores nomes do seu mercado e faz parte dos grupos mais ativos e com os melhores profissionais do setor;
  • Ou o cara segue meia dúzia de grupos inativos e só acompanha nomes “sem importância”, não tão relevantes?

Com certeza ao primeiro, não é?

Tanto os grupos que você segue quanto as pessoas e empresas que seguem falam MUITO sobre você. Esses também são fatores que influenciam bastante na percepção sobre a sua marca pessoal, por incrível que pareça.

OK, a gente sabe que no Brasil os grupos do Linkedin são bem ruins, e não tem 10% do engajamento dos grupos do Facebook. Mas ainda assim, cuide de pesquisar quais os melhores grupos do seu segmento e acompanhe as pessoas mais importantes da sua área. Além de fazer bem para aprender ainda mais, ainda te deixa bem na fita 😉

Envie uma mensagem para os membros e adicione aqueles mais relevantes para o seu setor.

Quando realizar sua pesquisa e encontrar os melhores grupos, faça o dever de casa: busque se conectar com os membros e potenciais parceiros mais estratégicos. Aproveite sempre pra fazer networking 😉

Explore as features

Se no começo desse guia nós falávamos sobre garantir o arroz com feijão, agora nós vamos muito além e vamos conferir quais as ferramentas e features que o Linkedin dispõe para bombarmos ainda mais nosso perfil e atuação na rede.

Crie perfis em outros idiomas.

Essa foi uma novidade para mim que descobri recentemente.

Enquanto estava pensando em traduzir todo o meu Linkedin para inglês ou criar uma nova conta nesse idioma, descobri que a rede lançou uma feature para que você consiga criar um perfil bilingue. ISSO MESMO!

Edu, como faz isso, pelo amor de Deus???

Calma que eu explico =D

[PASSO A PASSO]

Isso é incrível, pois te poupa daquela velha sinuca de bico de “precisar” ter um perfil em inglês (para eventuais contatos internacionais), quando a maioria do seu público, na verdade, é brasileiro.

Mesmo que você não tenha aspirações internacionais, recomendo demais que tenha um perfil outro idioma.

Mas cuidado: não basta simplesmente traduzir! Tenha com o seu perfil em inglês ou espanhol os mesmos cuidados que está tendo na versão em português, ok?

Selecione contatos estratégicos de quem você possa fazer e solicitar uma recomendação (no formato “depoimento”).

Já falamos bastante de Recomendações, certo?

A lógica aqui é exatamente a mesma: encontrar os parceiros certos, os contatos-chave do seu mercado, e se aproximar para pedir uma recomendação.

De novo: cuidado para não ser inconveniente! Uma abordagem sutil, delicada e empática tem 1000% de chances a mais de funcionar do que se você mandar algo como “Oi fulano, te mandei uma recomendação, pode me mandar uma também?” . Bom senso, ok? 😉

Escreva no Linkedin Pulse com consistência.

O Linkedin Pulse é um tipo de “blog” pessoal dentro do seu perfil e que, desde que foi lançando, vem revolucionando a forma com as pessoas se relacionam com a rede (pelo menos do que eu tenho visto aqui no Brasil).

Muita gente bacana “surgiu” e ganhou visibilidade justamente produzindo conteúdo para o Linkedin como o Matheus de Souza e a Flávia Gamonar . Ambos tem histórias incríveis e são cases de sucesso na utilização da plataforma para a construção de uma marca pessoal forte.

Enfim, dedique-se a escrever para o Linkedin Pulse com alguma consistência. Comece postando uma vez por semana algo que seja relevante para quem te segue no Linkedin e depois passe a testar diferentes tipos de conteúdo e formato.

Admito que ando em falta com esse item do checklist, mas dos textos que já produzi para o Linkedin, tive ótimos resultados de visibilidade. Alguns exemplos:

[POST 1]

[POST 2]

[POST 3]

Como postar um artigo no Linkedin?

[PASSO A PASSO]

Preencha o campo “Interesses de carreira” para que recrutadores encontrem você.

Outra feature bem valiosa do Linkedin. Ao preencher esse elemento, você dá ainda mais visibilidade para o seu perfil na busca dos recrutadores.

[FOTO]

Você estará, basicamente, ajudando seus futuros chefes a acharem você mais fácil 😉

Como preencher os “Interesses de carreira” no Linkedin?

[PASSO A PASSO]

Construa uma rede FODA

Antes de adicionar parceiros estratégicos, dê uma lida no perfil do mesmo e utilize informações ali para gerar empatia imediata.

Isso aqui é bem básico, mas pode ditar o tom de toda a sua abordagem e relacionamento com um potencial contato no Linkedin.

Quando visualizar um parceiro estratégico na rede, procure dar uma lista em seu perfil. Isso vai te ajudar a não só ter uma ideia de como a pessoa pode ser útil profissionalmente para a sua carreira, mas também encontrar pontos de conexão empática com o “target”.

Após fazer isso, envie uma mensagem como esta:

“Oi [Fulano] ! Tudo bem?

Eu sou fulano de tal, trabalho com [área de atuação] , e vi que temos alguns amigos em comum. Você trabalhou na [nome da empresa] mesmo? Sempre achei muito bacana o trabalho de vocês.

Enfim, estou te adicionando para conversarmos mais sobre [área de atuação] e fico à disposição para trocarmos mais ideias.

Grande abraço!”

Claro, não precisa fazer um texto idêntico (bom senso, bom senso…), mas esse tom é bem legal de se usar: uma abordagem simples, direta, simpática e com vários pontos de conexão (usar o nome, área de atuação em comum, saber a empresa em que ele trabalha, etc.).

Top